Educação de qualidade para um futuro de sucesso

Alguma dúvida? Ligue pra gente:

3255-6300

Era uma vez… O que fazer quando a criança não tem interesse pela leitura?

17/12/2017

Não há dúvidas que a leitura enriquece o vocabulário, aumenta a capacidade de escrita e de argumentação, e traz informações úteis para diversas situações no cotidiano de qualquer cidadão. Se o hábito de decifrar palavras é tão vantajoso, porque o brasileiro lê tão pouco? Uma pesquisa da Federação do Comércio do Rio de Janeiro feita este ano mostrou que 70% dos brasileiros não leram nenhum livro em 2014.

Ler é um costume que se adquire na infância. Mas como incentivar as crianças a lerem diante de tantas outras atividades que parecem mais interessantes como os tablets e smartphones? A psicopedagoga Kátia Arruda explica que a internet não diminuiu o interesse pelos livros, uma vez que antes mesmo da popularização da rede a leitura não era um hábito muito difundido no Brasil. Ela lembra ainda que este não é um problema exclusivo do nosso país.

A ideia, segundo Kátia, não é brigar com a tecnologia, mas torná-la uma aliada.  “Afinal, nos celulares, tablets e computadores na grande maioria também se realiza o exercício da leitura, nem sempre são vídeos e áudios. A grande questão não é a falta de leitura, mas a qualidade a leitura a que se dispõe”. Ou seja, se a criança ou adolescente acessa um site ou blog com boas informações, seja sobre literatura, esporte ou música, e faz a leitura, ele já está apreendendo conteúdo.

Uma outra dúvida muito comum entre os pais, é a eficácia da estratégia de oferecer recompensas em troca da leitura. Sobre isso a psicopedagoga é enfática: “não defendo em momento nenhum a ideia de recompensa nem tão pouco de obrigação. Veja bem, se for por obrigação o hábito não será desenvolvido, ao contrário, a leitura estará sempre associada a algo ruim, desagradável como todas as coisas impostas são”.

E Kátia dá uma dica: “É preciso desenvolver a ideia de que ler é gostoso, é legal, escolher boas leituras sempre foi a melhor saída neste caso. O grande problema é que pretende-se na grande maioria das vezes, indicar leituras que não são atrativas para as crianças, as leituras não correspondem com o que gostam e o que as motive. Se analisarmos com mais cuidado, veremos que é exatamente neste item que os recursos midiáticos fazem sucesso. Ao apresentar personagens e histórias com temas, cores, ideias conseguem cativar e conquistar o público de todas as idades”.

O exemplo também conta muito, a criança vai internalizar o hábito da leitura se ver pais e professores lendo. “É preciso ter em casa vários livros e retirá-los constantemente da prateleira para serem apreciados. O estímulo vem por meio de situações em que as crianças e jovens observam outros fazendo. Novamente uma estratégia que dá muito certo com os recursos tecnológicos. Hoje em dia, infelizmente a família inteira fica horas com esses recursos, logo o que interessará aos pequenos é fazer o que os adultos fazem”.

Outras
Notícias

Ver todas as notícias